Propaganda eleitoral na internet


As primeiras páginas veiculadas na internet com propaganda eleitoral datam da campanha presidencial de 1998, período em que o mundo virtual era restrito a pouquíssimos brasileiros. A modalidade começou a ser mais utilizada nas eleições de 2002, quando todos os candidatos a cargos majoritários criaram páginas virtuais e, em 2006, momento em que aumentou muito o foco neste tipo de propaganda.
Atualmente, todos os partidos políticos e candidatos têm uma preocupação especial com a propaganda na internet e, mais recentemente, focaram suas ações em redes sociais. Neste ambiente virtual, o candidato pode utilizar as home pages, bate-papo ou chats, permitindo um diálogo eletrônico com os eleitores, correio eletrônico e, uma inovação trazida pela legislação que rege as eleições de 2018, o impulsionamento de conteúdos patrocinados nas redes sociais.
Para evitar problemas com a Justiça Eleitoral, candidatos e cidadãos precisam ficar atentos para o que é permitido ou não neste ambiente virtual. Para dar aquela forcinha, vamos publicar, todas as segundas-feiras, dicas sobre o que pode e o que não pode ser feito em relação à propaganda eleitoral. Fique ligado!!! #Eleições 2018 #VemPraUrna