Coronel Do Valle diz que Alagoas nada mudou em 30 anos, com os políticos cada vez mais ricos e os pobres mais miseráveis


Em entrevista no programa Bronca Geral, da Litoral FM, com o radialista Ronaldo da paz, âncora da emissora, o coronel Do Vale, da PM alagoana, confirmou candidatura a deputado federal pelo PSC.
Ele Também anunciou que vai ter um encontro com o candidato a presidente da República Jair Bolsonaro.
Com 30 anos no serviço militar, o menino pobre nascido na Ponta da Terra iniciou sua formação estuando em escola pública.
Chegou a PM como soldado e hoje tem a patente de coronel. Sua história é muito bonita. Lembrou que só tinha uma calça e uma camisa para vestir. À noite, sua saudosa mãe lava às pressas para ele ir a escola no dia seguinte.  
Especialista em segurança, coronel PM passou pelo comando da corporação em Arapiraca e União dos Palmares, Do Vale avalia que nesses 30 anos de vida militar, Alagoas teve como o maior secretário de Segurança o advogado Alfredo Gaspar de Mendonça, que conseguiu baixar o índice de violência no Estado.
Para ele, falta um diálogo melhor entre o Comando da MP e da Secretaria de Segurança com o governador Renan Filho. Elogiou o trabalho do coronel Lima Junior, dizendo que ele “tem feito das tripas coração”.
O militar disse ainda que não adianta fazer CIPS e reformar escolas quando não se tem uma política salarial mais justa para o professor e o militar. “infelizmente, a violência tomou conta do Estado, deixando o cidadão de bem preso em sua casa”, avaliou o coronel PM. Como exemplo, citou o recente tiroteio ocorrido no Bar da Pata, com assalto e tiros causando pavor e medo a todos que estavam no local. Por sorte ou providência divina houve morte.
Do Vale terminou a entrevista dizendo que vai à luta nas urnas para mostrar que é possível fazer um projeto sério para atender às expectativas dos alagoanos. “Temos que mudar essespolíticos viciados, envolvidos em falcatruas”.
Culpou uma parcela do povo, que passa quatro anos dizendo que o político que elegeu nada faz, a não ser beneficiar sua família, e depois o elege novamente. Para ele, é uma falta de respeito o que acontece na educação. “É inadmissível deixar que um aluno bata no professor em plena sala de aula. Antigamente, havia respeito ao educador e tínhamos uma escola pública com seriedade”.
Nesses 30 anos desde que entrou na PM, de acordo com o coronel, nada mudou em no Estado. “Quem vai ao Sertão vê a miséria sofrida por um povo trabalhador”, lamentou. Mas não é só no Sertão que a população sofre. “Em Maceió, os bolsões de miséria estão por toda a periferia, com um quadro de miséria terrível, lastimável”.
Na sua visão, os políticos vivem em mansões na Barra de São Miguel ou em suas fazendas, enquanto que o pobre fica mais miserável.
 
Eis a entrevista, na íntegra.

Publicado por Ronaldo Da Paz Radiolitoral em Terça-feira, 7 de agosto de 2018